SE EXISTE ALGO PELO QUE VALE A PENA VIVER


"Se existe algo pelo que vale a pena viver, então busque com todas as suas forças, ainda que seja necessário continuar tentando até a morte."

(Marcus Siqueira)

SHOW DA FÉ TEM AUDIÊNCIA MAIOR QUE OUTROS PROGRAMAS DA BAND


O religioso “Show da Fé” apresentado pelo missionário R.R. Soares, tem registrado mais audiência que a revista eletrônica “Dia Dia”.

O levantamento dos dados foi feito pelo jornal O Estado de S. Paulo. De acordo com a publicação, na semana passada o programa comandado por Daniel Bork, Patrícia Maldonado e Lorena Calábria registrou índices inferiores ao religioso na segunda, quarta e sexta.

Na segunda (13), o “Dia Dia” registrou 0,4 de média, contra 1,3 do religioso de R.R. Soares. Na quarta (15), o matinal obteve 0,7 contra 1,2 do “Show da Fé”. Na sexta (17), o panorama se repetiu. O culto de R.R. Soares registrou 1,3 contra 0,8 do “Dia Dia”.

A Band afirmou que a comparação deve ser feita com ressalvas, já que os programas são exibidos em horários diferentes. Além disso, a emissora alega que o “Dia Dia” conseguiu elevar a média do horário de 0,8 para 1,2 ponto.

O “Dia Dia” é exibido nas manhãs da Band. Já o “Show da Fé” vai ao ar em horário nobre.

Fonte: Na telinha

CLIPE: FERNANDINHO - SEDE DE JUSTIÇA

A DITADURA DA AUTO-AJUDA GOSPEL


Por Pr. Marcus Siqueira

Evidentemente a AUTO-AJUDA é uma tendência que tem impregnado todo o meio cristão, em especial no Brasil. Os sermões, orações e músicas só alcançam a aprovação do exigente público Gospel nacional à medida que suprem suas mais latentes carências.

Na música a chaga é ainda maior. Por serem indiscutivelmente “comerciais” (uma vez que são feitos também para serem comercializados), os CDs e DVDs do estilo Gospel Brasileiro tendem a possuir invariavelmente apenas o mesmo tema: “a AUTO-AJUDA GOSPEL”.

Auto-ajuda ou “Ajuda do Alto”?

“Deus vai fazer por mim”; “Deus não se esqueceu de mim”; “Faz em mim”... São frases semelhantes às que encontramos em qualquer música entre as que fazem sucesso hoje em dia.

Conversando recentemente com o famoso dono de uma gravadora, enquanto ele ouvia e analisava minhas composições, fui surpreendido com um sensato conselho: “Você precisa compor mais músicas em primeira pessoa. É isso que as pessoas querem ouvir e cantar!” A princípio, acatei a sugestão, embora não tenha me esforçado para colocá-la em prática.

Outro dia, fui procurado por um irmão, líder de um ministério de música que precisava de algumas canções para compor o repertório de seu primeiro CD. Quando perguntei o que ele procurava... a única coisa que ele me respondeu foi: “Precisamos de músicas em primeira pessoa”. Depois deste episódio, não pude mais conter minha revolta diante da ditadura da auto-ajuda cristã revelada, sobretudo, na música.

Que qualidade de artistas temos formado em nossa nação? Será que ninguém ensinou nossos compositores que a Arte, independente do tempo verbal, é sempre em “primeira pessoa” – trata-se de uma construção completamente subjetiva? Nenhum tipo de arte é isento, imparcial, puramente objetivo. A música, seja em primeira, segunda, terceira ou “décima pessoa” sempre vai falar do que está no coração do artista.

A variedade de dons e ministérios foi suprimida pela ditadura das letras pré-fabricadas e que massageiam o ego dos ouvintes. Poesias que tratam Deus como um garçom, alguém que tem a obrigação de nos servir em todas as nossas necessidades.

Onde estão aqueles que cantam o que exorta, o que admoesta, o que corrige, o que lamenta, o que sofre ou qualquer outra coisa que não seja simplesmente auto-ajuda? Quem sabe o Senhor deseje também levantar pessoas que cantam o cotidiano, o amor, as decepções etc...?

Certamente, meu aparente radicalismo é típico do tom profético desta reflexão. Entretanto, preciso ressaltar que nem todos são dos que cedem à tendência do discurso positivista. Há sim, aqueles que cantam o que Deus quer que cantem. Não podemos ignorar também que alguns, certamente, foram chamados para cantar a auto-ajuda cristã. Mas que fique bem claro: TALVEZ ALGUNS, E NÃO TODOS!!!

GUERRA SANTA NO PODER PÚBLICO


Recentemente, um de meus discípulos comentou que uma professora havia ficado "possessa" por perceber que ele tinha uma bíblia sobre a carteira em plena sala de aula. A grande surpresa é que trata-se de um colégio estadual, onde, supostamente, deveria ser respeitada nossa tão aclamada liberdade religiosa garantida pela Constituição Federal.

É nítido como nossa nação caminha para a completa intolerância religiosa: imposições veladas de um socialismo maqueado.

O CONTRA-ATAQUE DOS EVANGÉLICOS

O presidente da Associação dos Evangélicos Piauienses, pastor Robson Marcelo da Silva, afirmou que entrou com uma ação civil pública juntamente com mais 16 entidades religiosas para reivindicando a retirada de imagens de santos das repartições públicas federais, estaduais e municipais.

PARE E PENSE:

Atitudes como esta facilitam a difusão do Evangelho? São resultados da transformação religiosa ocorrida nos últimos anos em nossa nação?... Ou são apenas mais pretextos para o aumento da intolerância entre as religiões? Onde iremos para com isso tudo???

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...